All posts by Markering Perfect Flight

17 jun 2019

Embrapa destaca a segurança e importância da aviação agrícola

A Empresa Brasileira de Pesquisas Agropecuárias (Embrapa) divulgou na última semana uma Nota Técnica destacando a segurança da aviação agrícola no trato de lavouras e reforçando a necessidade de um debate livre de preconceitos para se estabelecer no País uma política de segurança alimentar e energética. Assinado pelo pesquisador Paulo Estevão Cruvinel, o documento diz que “a aplicação de defensivos quando bem orientada pode resolver situações de infestações sem externalidades negativas, não representando um perigo a priori quando fundamentada nas boas práticas, que envolvem capacitação, uso de métodos e tecnologias”.

Intitulada Contribuições para requisitos em operações aeroagrícolas, a nota se baseia nos resultados de quatro anos de pesquisas sobre pulverizações aéreas, realizadas entre 2013 e 2017 em parceria com o Sindicato Nacional das Empresas de Aviação Agrícola (Sindag). Coordenado por Cruvinel, o projeto Desenvolvimento da Aplicação Aérea de Agrotóxicos como Estratégia de Controle de Pragas Agrícolas de Interesse Nacional abrangeu estudos em lavouras de soja, arroz e cana-de-açúcar no Sul, Sudeste e Centro-Oeste. A pesquisa foi a maior já feita no País sobre tecnologias aeroagrícolas e envolveu, além do Sindag e empresas associadas, seis centros de pesquisa da Embrapa, além de 10 universidades parceiras e empresas de tecnologias.

A nota da Embrapa fala sobre a história de mais de 70 anos da aviação agrícola brasileira, destacando os avanços em alta tecnologia desde os anos 90 e lembrando que, desde os anos 60, trata-se da única ferramenta de aplicação com regulamentação específica, por isso mesmo a mais facilmente fiscalizável. O documento ainda adverte que o País ainda não tem um plano de segurança alimentar e energética e os poderes públicos precisam se debruçar sobre o tema, promovendo um debate sem preconceitos, alinhando a sustentabilidade ambiental à produção em escala.

Para o presidente do Sindag, Thiago Magalhães, a nota da Embrapa vai ao encontro da estratégia do sindicato aeroagrícola, no sentido de dar consistência ao debate em torno do uso de insumos nas lavouras. “Temos há anos uma política séria de boas práticas no campo e um trabalho de aproximação com a sociedade, mas que seguidamente é prejudicado pela energia que se gasta contra mitos. Basicamente por falta de informação às vezes inclusive por parte de autoridades”, ressalta Magalhães.

O documento de agora da Embrapa ratifica e complementa outra nota técnica que havia que havia sido emitida em 2016, no final das pesquisas sobre pulverização aérea. O documento na época havia sido assinado por Cruvinel e pelo professor Wellington Pereira Alencar de Carvalho, da Universidade Federal de Lavras e um dos coordenadoras do programa de Certificação Aeroagrícola Sustentável (CAS), que também participou da pesquisa. O documento na época já dizia que os trabalhos indicavam “que, utilizando todo seu potencial tecnológico, a aplicação aérea de agrotóxicos, nas culturas citadas, reúne condições de qualidade, eficiência e precisão, inclusive no que se refere à proteção ambiental”.

A nota emitida na última semana cita como recomendações que na verdade reforçam rotinas já existentes em toda a aviação agrícola, como o monitoramento das operações através do GPS diferencial (DGPS) – equipamento utilizado por 100% da frota e que, além de orientar o piloto em cada faixa de aplicação, registra (em arquivo inviolável) todo o voo, assinalando exatamente onde o avião passou aplicando e o trajeto com sistema de pulverização fechado. Outra recomendação reforçou a importância do relatório de cada operação, feito pelos empresários aeroagrícolas e obrigatório desde 2008 pelo Ministério da Agricultura. Esse relatório abrange desde a equipe envolvida e produto aplicado, até o mapa de DGPS da área e as condições meteorológicas. Tudo à disposição de fiscalizações na empresa e com resumo enviado mensalmente ao Ministério.

Cruvinel lembra que o País tem uma expectativa de crescimento de 20% até 2022, enquanto as áreas de lavouras devem crescer apenas 9%. “Porém, em um país tropical, o clima é favorável a pragas e diversidade de hospedeiros, o que implica em buscar estratégicas e tecnologias para dar mais precisão às aplicações para garantir produção em escala.” Nesse sentido, segundo a Embrapa, a experiência brasileira de uso de insumos para tecnologias diversas é uma das melhores do mundo. Porém, o País ainda sofre com a falta de consistência e polarização no debate sobre uma estratégia ampla para controle de pragas. “No Brasil, a perda de alimentos é estimada em 26,3 milhões de toneladas, com aproximadamente 18% desse total se perdendo ainda no campo, devido à falta de conhecimento e aporte tecnológico para um manejo adequado, principalmente naqueles envolvidos no controle de pestes e pragas.”

FONTE: CANAL RURAL. Leia a matéria na íntegra em: https://blogs.canalrural.uol.com.br/aviacaoagricola/2019/06/10/embrapa-destaca-a-seguranca-e-importancia-da-aviacao-agricola/?_ga=2.26007421.1374084543.1560169270-263862308.1560169270
29 maio 2019

Startup de monitoramento de defensivos agrícolas aéreo integra previsão do tempo ao sistema

O objetivo da iniciativa é levar ainda mais sustentabilidade, assertividade e economia para o campo A sustentabilidade está ligada a uma rede de interação entre os meios ambientais, econômicos e sociais. No campo, a tecnologia tem sido uma grande aliada para colocar esse conceito em prática, com soluções que geram melhores resultados financeiros e redução de impactos na natureza. Diante disso, a Perfect Fligth integrou ao seu sistema de monitoramento aéreo para aplicação de defensivos agrícolas, a previsão do tempo. A medida ajuda a reduzir custos relacionados às perdas de produtos para o controle de pragas com chuvas inesperadas e outros efeitos climáticos que prejudicam a ação dessas formulações. A startup brasileira já oferece mapas para o plano de voo, além dos gráficos com os resultados e análises pós-aplicação. “Pensando em oferecer uma ferramenta que proporcione mais assertividade, incluímos ao nosso sistema a previsão do tempo, que leva informação sobre a direção dos ventos, a inversão térmica, além da previsão de chuva”, conta Rafael Ferreira, gerente de sustentabilidade e relacionamento da Perfect Flight. A inversão térmica, por exemplo, é um fenômeno meteorológico em que o ar próximo ao solo apresenta uma temperatura menor que as camadas de ar superiores. Rafael explica que essa condição climática causa a suspenção das gotas dos defensivos, que assim podem ser carregadas por ventos, podendo atingir outras plantações ou localizações que não são o foco da aplicação. “A previsão de todas as condições do tempo é essencial para o produtor não ter prejuízos na plantação, escolhendo a melhor data e situação climática para realizar a pulverização”, ressalta. Os investimentos em inovações na plataforma da Perfect Fligth visam as soluções dos problemas do campo. A aceitação das agtechs, como são denominadas as startups com foco no agronegócio, no mercado nacional é tanta que o Brasil já registra 300 companhias no setor, segundo dado apresentado durante o Fórum de Inovação da Agrishow 2019. “Por meio do desenvolvimento de novas tecnologias e o aprimoramento do que já está disponível, as ações dos produtores rurais não precisam mais ser intuitivas e arriscadas. São cada vez mais precisas, garantem bons resultados na safra, mais lucro em espaços de terra menores e ainda mais sustentáveis”, diz o gerente de sustentabilidade e relacionamento da Perfect Fligth. Fonte: ComTexto Comunicação Integrada Fonte: Sucesso no Campo
14 maio 2019

#PerfectNaMídia – Startup sanjoanense, Perfect Flight demonstra aplicativo na Agrishow 2019

A Agricultura 4.0 representa a aproximação entre tecnologia e campo, fomentando práticas digitais e promovendo cada vez mais assertividade, sustentabilidade e rentabilidade ao produtor. A realidade da conexão tecnológica no ambiente rural é observada pelo aumento do acesso à internet. Segundo dados divulgados pelo IBGE, o percentual de utilização da rede no campo passou de 33,6% para 41,0%, de 2016 a 2017. Nesse cenário, startups ganham força, como é o caso da Perfect Flight.

Atuando na cadeia produtiva do agronegócio, com rastreabilidade e gestão sustentável da operação de pulverizações de insumos por meio de tecnologia web nuvem (Cloud computing architeture), a Perfect Flight, que nasceu em São João da Boa Vista no fim de 2015, demonstrou suas soluções e funcionalidades durante a Agrishow 2019, realizada entre 29 de abril e 3 de maio, em Ribeirão Preto (SP).

A startup participou ao lado da Climatempo, que destacou as plataformas Radar Agro e Agroclima, para reforçar a ideia de uso conjunto das soluções tecnológicas, uma vez que, unindo as ferramentas, o produtor rural conseguirá chegar próximo à eficiência total no momento da aplicação de defensivos aéreos.

“O clima é extremante importante para definir a data da pulverização. Então, utilizar a previsão do tempo aliada aos nossos mapas, que apontam os locais e as quantidades de defensivos que devem ser aplicados, o produtor conseguirá economizar e ter uma produção com mais qualidade”, comentou Rafael Ferreira, gerente de sustentabilidade da Perfect Flight.

Durante a Agrishow, os visitantes tiveram acesso ao aplicativo da Perfect Flight para identificar a facilidade e simplicidade provenientes das soluções tecnológicas. “Participamos de diversas feiras pelo Brasil e em todas elas percebemos que, cada vez mais, a tecnologia vem ganhando espaço e importância. Os maquinários também estão evoluindo, e com as resoluções geradas pelas startups é possível usá-los com mais assertividade e lucratividade”, afirmou o gestor de operações da Perfect Flight, Leonardo Luvezutti.

Fonte: O Município
08 maio 2019

Agricultura 4.0

O que você entende por “Agricultura 4.0”? Vem comigo que te explico… Agricultura 4.0 é usar a tecnologia e a informática para gerenciar a lavoura e melhorar a produção. Agricultura digital não é apenas mandar uma mensagem , gravar um vídeo ou postar uma foto do campo nas redes sociais. Ela é a otimização de processos e custos por meio de ferramentas digitais, elevando o índice de produtividade e rendimento. A Perfect Flight está totalmente inserida no mundo digital, ajudando sempre você ter o melhor resultado no campo! Fonte: Canal Rural
02 maio 2019

#PerfectFlightNaMídia – Perfect Flight leva demonstração do aplicativo para Agrishow 2019

“O clima é extremante importante para definir a data da pulverização. Então, ao usar as ferramentas Radar Agro e Agroclima PRO aliadas aos nossos mapas, que apontam os locais e as quantidades de defensivos que devem ser aplicados, o produtor conseguirá economizar e ter uma produção com mais qualidade”, comenta Leonardo Luvezutti, gestor de operações da Perfect Flight. Confira a matéria na íntegra pelo site da Revista de Agronegócios:
Perfect Flight leva demonstração do aplicativo para Agrishow 2019
16 abr 2019

#PerfectFlightNaMídia – EPTV entrevistou a Perfect Flight na Agrotech Show 2019

Rafael Ferreira, gerente de relacionamento e sustentabilidade da Perfect Flight, deu entrevista à EPTV durante a AGROTECH SHOW 2019, em São João da Boa Vista – SP.

“ A agricultura precisa da tecnologia para melhorar a produtividade e a sustentabilidade está cada vez mais aliada a essa tecnologia. As startups trazem toda essa tecnologia para mostrar ao produtor como produzir mais e melhor, gastando menos, rendendo mais, com maior segurança no produto e no próprio alimento que está sendo produzido “ diz Rafael.

Confira a matéria na íntegra pelo site do GloboPlay: https://globoplay.globo.com/v/7535860/programa/
25 mar 2019

#PerfectNaMídia Sustentabilidade garante rentabilidade ao agronegócio

O agronegócio tem a necessidade de, cada vez mais, ser sustentável, seja por conta da exigência para a exportação e dos anseios do consumidor final, seja pela percepção do próprio produtor. A agricultura sustentável é aquela que respeita o meio ambiente, é justa do ponto de vista social, é rentável e garante às gerações futuras a continuidade do cultivo.

Ulisses Rocha Antuniassi, professor da Unesp Botucatu e doutor em agronomia, pontua que o momento atual da agricultura valoriza a consciência e o uso correto e seguro dos insumos. Tanto que vários projetos desenvolvidos por ele abrangem as Boas Práticas Agrícolas (BPA), que são princípios de recomendação técnica que devem ser adotados pelos produtores rurais a fim de obter produtos finais com mais qualidade, assegurando a saúde dos trabalhadores e consumidores e preservando o meio ambiente.

“Manejo e uso controlado de defensivos agrícolas são questões que os produtores devem estar atentos. É cada vez mais importante que eles tenham ferramentas de gestão e monitoramento de tudo o que acontece no campo”, ressalta Ulisses. Ainda segundo o professor, garantir o uso ideal dos produtos resulta em uma safra com mais qualidade, menor custo e sem contaminação do ambiente.

Diante desse cenário, crescem as startups de agronegócio no Brasil, conhecidas como agtechs, que visam trazer ferramentas tecnológicas aos empreendedores rurais. Uma delas é a Perfect Flight: “Nossa solução para a gestão da aplicação aérea de defensivos agrícolas partiu da percepção da falta de controle sobre a qualidade e assertividade da aplicação, além, é claro, da ausência de mapas exatos para preservar o entorno”, explica Leonardo Luvezutti, gestor de operações.

Há quatro anos no mercado, a ferramenta oferecida pela Perfect Flight proporcionou melhores índices de assertividade na aplicação de defensivos aéreos, próximos a 90%, com a preservação de áreas ambientais. “Em alguns casos pode-se constatar que os índices de assertividade prévios ao monitoramento eram de 60%. Já monitoramos mais de dois milhões e meio de hectares e os resultados são efetivos”, diz Luvezutti.

O Pulse, hub de inovação da Raízen ao qual a Perfect Flight faz parte do portfólio, firmou-se como peça-chave no ecossistema de inovação ao também fomentar soluções voltadas à sustentabilidade. No final de fevereiro, o hub organizou, em Piracicaba, um encontro que reuniu diversos parceiros e colaboradores do ecossistema de inovação e discutiu alguns temas relacionados à preocupação da Raízen com o meio ambiente e com a produção sustentável.

“O crescimento sustentável é uma das diretrizes chaves da Raízen e ganhará uma importância ainda maior com o Pulse. Por meio das soluções socioambientais que já temos no nosso porfólio, a empresa consegue evoluir economicamente, sem deixar de atuar na preservação e na mitigação dos impactos ambientais. Além disso, também possibilita o desenvolvimento das comunidades em que suas atividades estão presentes”, afirma Fábio Mota, VP de tecnologia e head do Pulse.

A agricultura é um dos pontos em que a sustentabilidade ambiental e a econômica são determinantes para o sucesso do produtor e da sociedade, conforme pontua o professor Ulisses. “Lavouras sadias e o meio ambiente preservado levarão o agronegócio para um caminho bem-sucedido e próspero, já que dependemos desse setor, que corresponde a mais de 20% do PIB do Brasil.”

Confira na íntegra pelo site da UDOP (https://www.udop.com.br/index.php?item=noticias&cod=1176927)
19 mar 2019

5 coisas que você precisa saber sobre Pulverização Aérea

A pulverização aérea é uma tecnologia utilizada no Brasil há 70 anos. Esta técnica é rápida e aumenta a eficácia dos produtos aplicados.

Segundo o engenheiro agrônomo e gerente executivo da Federação de Agricultura do Espírito Santo (Faes), Murilo Pedroni, a Federação apoia métodos que sejam eficazes e seguros para o produtor. “A Faes defende sempre o uso da tecnologia disponível para o produtor. Se determinado método é mais eficiente, ele deve ser incentivado e não proibido de ser utilizado”, disse. Entre os mais variados benefícios da pulverização aérea, destacamos 5 deles:

• Menor quantidade de defensivos agrícolas;
• Maior precisão na aplicação em melhores condições ambientais;
• Evita o contato do aplicador com o produto;
• Evita disseminação de pragas e doenças;
• Não amassa as plantas;


É também uma prática que economiza aproximadamente 370 litros de água por hectare, ajudando muito na racionalização do consumo de água nacional. Além disso, a pulverização aérea é regulamentada por lei e fiscalizada pelas esferas federal, estadual e municipal.

Fonte: Agrolink
13 mar 2019

Café tem um aumento de 36,9% em sacas

A exportação brasileira de café em grão em fevereiro de 2019, teve um aumento de 36,9% de sacas em relação ao mesmo mês do ano passado. Cerca de 3,109 milhões de sacas de 60 kg foi o resultado de 2019 e em 2018 foi de 2,271 milhões de sacas. Esses dados foram divulgados pela Secretaria de Comércio Exterior, do Ministério da Economia. Teve um aumento de 13% – US$408,7 milhões -em relação a receita cambial – em comparação a fevereiro de 2018 – US$361,8 milhões. Fonte: Brasil Agro
06 mar 2019

Algodão brasileiro ganha mercado graças à tecnologia

A safra do algodão cresceu mais de 20% em relação à última colheita, segundo a Companhia Nacional de Abastecimento. O que ajuda para essa superprodução são os auxílios das máquinas e tecnologia Ter um algodão de qualidade, é uma busca em todas as etapas de produção. E na época de colheita, os cuidados se intensificam, pois o algodão é um produto que você vende sem ter plantado ainda, então tem que ter o cuidado para conseguir cumprir o prometido. Por isso, na colheita, as estradas internas da propriedade são fechadas para evitar que não suje as plumas. Nessa hora, a movimentação de pessoas e máquinas é grande. E a evolução das máquinas e equipamentos tem sido um difusor de águas para a colheita mais fácil, mesmo que custe mais caro. Grandes grupos chegam a desembolsar até R$ 3 milhões numa única colheitadeira.“Vale a pena porque o rendimento é bem maior. Por dia, colhemos 40 hectares com ela”, afirma Ricardo Tokumo, supervisor de agricultura de precisão. Aumentando o uso de máquinas, diminui o manuseio de algodão, sendo muito bom, pois tem menos perdas, menos contaminação por ter menos contato com o solo, sendo assim, a qualidade é preservada. Com a ajuda da tecnologia e a melhoria do algodão, o Brasil vem conquistando o mundo inteiro e 70% da produção é exportada. “O algodão tem sido uma excelente opção de plantio para o produtor, já que a demanda nas últimas três safras foi maior do que a produção. Então o produtor de algodão está ganhando dinheiro e vai ganhar também na próxima safra com certeza”, projeta Arlindo Moura, presidente da Associação Brasileira dos Produtores de Algodão. Fonte: Globo Rural