06 mar 2019

Algodão brasileiro ganha mercado graças à tecnologia

A safra do algodão cresceu mais de 20% em relação à última colheita, segundo a Companhia Nacional de Abastecimento. O que ajuda para essa superprodução são os auxílios das máquinas e tecnologia Ter um algodão de qualidade, é uma busca em todas as etapas de produção. E na época de colheita, os cuidados se intensificam, pois o algodão é um produto que você vende sem ter plantado ainda, então tem que ter o cuidado para conseguir cumprir o prometido. Por isso, na colheita, as estradas internas da propriedade são fechadas para evitar que não suje as plumas. Nessa hora, a movimentação de pessoas e máquinas é grande. E a evolução das máquinas e equipamentos tem sido um difusor de águas para a colheita mais fácil, mesmo que custe mais caro. Grandes grupos chegam a desembolsar até R$ 3 milhões numa única colheitadeira.“Vale a pena porque o rendimento é bem maior. Por dia, colhemos 40 hectares com ela”, afirma Ricardo Tokumo, supervisor de agricultura de precisão. Aumentando o uso de máquinas, diminui o manuseio de algodão, sendo muito bom, pois tem menos perdas, menos contaminação por ter menos contato com o solo, sendo assim, a qualidade é preservada. Com a ajuda da tecnologia e a melhoria do algodão, o Brasil vem conquistando o mundo inteiro e 70% da produção é exportada. “O algodão tem sido uma excelente opção de plantio para o produtor, já que a demanda nas últimas três safras foi maior do que a produção. Então o produtor de algodão está ganhando dinheiro e vai ganhar também na próxima safra com certeza”, projeta Arlindo Moura, presidente da Associação Brasileira dos Produtores de Algodão. Fonte: Globo Rural